“Máfia dos Camiões TIR” com pena agravada

6 Março 2020 - Auto Monitor

“Máfia dos Camiões TIR” com pena agravada

A Relação do Porto agravou a pena a oito dos 31 condenados em 2016 no processo “Máfia dos Camiões TIR”, por roubo de camiões e venda ao desbarato de mercadorias neles transportadas, imputando-lhes também o crime de associação criminosa.

Num acórdão já confirmado pelo Supremo Tribunal de Justiça “sem alterações de relevo”, o arguido mais penalizado fica agora condenado, em cúmulo jurídico, a 17 anos de prisão, mais um ano do que a pena que lhe fora aplicada no tribunal de primeira instância do Porto, anunciou a Procuradoria Distrital.

A outros arguidos que também ficam agora condenados por associação criminosa são aplicadas uma pena de três anos e duas de cinco anos de prisão, todas suspensas, e penas de prisão efetiva entre sete anos e quatro meses e os 13 anos e oito meses, nos quatro casos restantes.

Os arguidos furtavam camiões TIR, ou apenas os respetivos atrelados que carregavam produtos (galeras), grande parte de e para a exportação, e depois vendiam o produto a preços muito mais baixos, sintetiza a Procuradoria do Porto, numa nota na sua página de Internet.

Os crimes ocorreram no Norte e Centro do país e o grupo assaltou dezenas de pesados, reboques, semirreboques e tratores, furtando toneladas de artigos que, depois, foram vendidos a recetadores, entre 2011 e 2012. Os camiões TIR, de empresas nacionais e estrangeiras, eram sempre assaltados quando estavam estacionados em áreas de serviço, sendo o prejuízo superior aos dois milhões de euros. O modus operandi era sempre igual: uns elementos do grupo procuravam e sinalizavam os alvos e outros furtavam a carga e vigiavam a operação para garantir que não havia operações policiais.

Numa decisão de 15 de abril de 2016, o tribunal criminal de primeira instância de São João Novo, no Porto, condenou a penas entre a simples multa e a prisão efetiva ou suspensa a 31 de 40 arguidos por crimes como furto, recetação, falsificação de documentos e posse de armas proibidas.

O homem dado como líder do grupo, que foi então condenado a 16 anos de prisão – pena agora agravada em um ano -, criou uma pequena empresa de fabrico de tapetes para faturar e vender as cargas furtadas, que ia desde bacalhau, leite, produtos de higiene, água, ferramentas, instrumentos musicais a tijolos.

Notícias Por Etiquetas

A1A2Acidentealfa romeoAlfa Romeo GiuliaAlgarveaston martinauctionaudiAudi A6Audi e-tronAudi Rs6BarreiroBejabentleybikebikesBMWBMW 8 seriesBMW M3BMW m5BMW x7bmw z4bombeirosBragaBrasilBrazilBugattiCabriocar rentCarlos GhosnCarro elétricoCascaisCastelo BrancochinaChryslercitroenclassic carclassicsCoimbraconvertiblecoronavirusCrash Testcrash testsCupradaciaDacia Dusterdieseldiesel scandaldrag raceelectricemissionsEspanhaEstacionamentoestradasEuropaeuropeevFaroFCAFerrariFiatFiat 500Fiat 500eFiat 500XFiat PandafordFord FiestaFord FocusFranceFrankfurt Motor ShowGeneva Motor ShowGermanyGNRGondomarGuimarãeshondahybridHyundaiitaliaItalyJaguarjeepJeep WranglerkiaLA Auto ShowLamborghiniland roverLand Rover DefenderLeiriaLisboaLisbonLouléMadeiraMaiaMarco de CanavesesMatosinhosmazdaMazda CX-5Mazda MiatamercedesmetrominiMini CooperMitsubishiMorganMOTOCROSS E ENDUROmotorcyclemotorsportNew York Auto ShownissanNissan LeafNissan QashqaiopelOpel CorsaPalmelaPeugeotPeugeot 208Peugeot 508Peugeot 508 SWpolicePonte de LimaPorschePorsche 911portagensPortoPortugalPSAPSPradaresRange RoverrecallrenaultRenault Dusterrent a carrestorationsafetysafety ratingsSafety testsSamsungSanta Maria da FeiraSantaremseatSeat CupraSeat LeonSeat TarracoSergio MarchionneSetubalSintraskodasmartspainspy shotssubarusupercarssuvsuzukitechnologyteslaTesla Model 3Tokyo Motor Showtoyotatoyota supratrucktuninguberukUnited StatesUSAvendasVendas de carrosViana do CasteloVieira do MinhoVila Nova de FamalicãoVila Nova de GaiaVila RealVila VerdeViseuvolkswagenvolvoVolvo XC40vwVW CaddyVW golfVW PoloVW T-Roc
Venda o Seu Carro