PCP/Porto quer passe único para todos em abril

14 Março 2019 - Jornal de Notícias

PCP/Porto quer passe único para todos em abril

O PCP do Porto manifestou-se, esta terça-feira de manhã, junto à Estação de S. Bento, no Porto, exigindo a aplicação de todos os descontos anunciados no âmbito do passe único a partir de 1 de abril.

Jaime Toga, responsável pela direcção da Organização Regional do Porto (DORP), critica a adesão faseada ao passe único. Tal como previsto, a 1 de abril entra em vigor o serviço contemplado pela rede Andante, sendo que o resto adere a partir de maio.

O comunista condena ainda o atraso no passe família. Demora essa que Eduardo Vítor Rodrigues, presidente do Conselho Metropolitano do Porto (CMP) já justificou por questões técnicas na aferição dos dados do agregado familiar. "Achamos que deveriam ser criadas todas as condições e que não se acene agora, semanas antes do início do prazo, com dificuldades técnicas porque não há validadores ou porque não se consegue atestar os agregados familiares", reiterou Jaime Toga, membro da Comissão Política do PCP.

"Só por incompetência é que não são criadas todas as condições para 1 de abril se garantir à população da Área Metropolitana do Porto todos os descontos", disse Jaime Toga, referindo-se ao facto de nem todas as medidas anunciadas avançarem ao mesmo tempo que a implementação do passe único na rede Andante.

Considerando que a verba disponível em Orçamento de Estado se destina a toda a Àrea Metropolitana do Porto e não apenas à rede Andante, Jaime Toga defende que é necessário "garantir a aplicação de todos os descontos a tempo".

O responsável pela DORP sugeriu ainda a aplicação de um limite de 20 euros mensais para pessoas com idade superior a 65 anos.

Venda o Seu Carro