Tem um modelo antigo? Mercedes atribui emblemas de reconhecimento a clientes

1 year atrás - 29 Maio 2023, turbo
Tem um modelo antigo? Mercedes atribui emblemas de reconhecimento a clientes
Ao contrário do que parece acontecer, hoje em dia, com a maior parte das marcas automóveis, a Mercedes faz questão de distinguir os clientes que se mantêm fiéis à marca, durante décadas. Razão pela qual tem um vigor um programa em que atribui emblemas de homenagem pelos anos e quilómetros cumpridos.

Embora a maior parte dos clientes e fãs da marca da estrela possam desconhecê-lo, a verdade é que a Mercedes-Benz mantêm um programa de reconhecimento de fidelização dos clientes, desde a década de 60!

Este programa, segundo noticia o site Motor1, procura atribuir emblemas de reconhecimento em função, não apenas da quilometragem realizada com um modelo Mercedes (seja ela de 100.000 km, 500.000 km, ou um milhão de quilómetros…), mas também de acordo com o tempo que um proprietário mantém o seu automóvel – 10 anos, 20 anos, 30 anos, etc…

Quanto à forma de poder ganhar um destes emblemas, os proprietários de automóveis Mercedes têm de começar por se inscrever junto da filial da marca no respectivo país, para que, em seguida, o seu automóvel possa ser inspeccionado num concessionário indicado pela própria Mercedes-Benz.

Caso tudo esteja em ordem e em conformidade com o exigido, o próprio concessionário encarregar-se-á de contactar o proprietário, para lhe entregar não apenas o emblema, como também um certificado de autenticidade e uma carta de reconhecimento pela fidelidade demonstrada à marca.

O caso do táxi português

Recordar que, em Portugal, já foi notícia o caso de um taxista que conduziu, durante 13 anos, um Mercedes-Benz 200D de 1998, com o qual fez 1,9 milhões de quilómetros. Carro que, hoje em dia, está em exposição no Museu da Mercedes-Benz, em Estugarda.

Ainda assim, vale a pena também dizer que este não é o Mercedes comercializado, que amealhou maior número de quilómetros durante a sua existência. Tal recorde pertence a um Mercedes W115 240D de 1976, propriedade de um taxista grego, que com ele fez mais de 2,8 milhões de quilómetros!

Contudo e no caso específico deste veículo, o qual terá sido comprado pelo taxista grego já em segunda mão e, mais concretamente, em 1981, já com 220.000 quilómetros cumprido, a “estória” também refere que o carro terá visto o seu motor substituído “duas ou três vezes”. O que, ainda assim, não impediu que, em 2004, fosse adquirido pela Mercedes, para que também figurasse no seu museu.

Quanto a Gregorios Sachinidis, assim se chama o taxista, terá recebido da parte da marca alemã um Classe C 200 CDI totalmente novo.

Apoiamos a Ucrânia